Medjugorje, um lugar onde se sente a presença da misericórdia de Deus - Padre Evaristo Debiasi

 

"Abram os seus corações para a misericórdia de Deus e Ele dará tudo o que vocês precisam e preencherá seus corações com paz, por que Ele é a paz e a sua esperança."
 
Meu caro amigo Dr.Dário, paz, graças e o amor de Jesus através de Maria!
 
Estou enviando a pequena reflexão que fiz em síntese dos três dias vividos em Medjugorge (27 a 29 de janeiro de 2009) com alguma das fotos que lá tirei ...É difícil traduzir em palavras o que lá se vive... Espero que o quanto antes tenhas esta oportunidade e graça que tanto mereces. Estou enviando agora a reflexão para que possas assim adiantar o teu boletim do site queridosfilhos...
 
Abraços  Pe. Evaristo
   
Após alguns anos, voltei a Medjugorge... Passei por lá no ano de 1986,  tudo ainda era início, encontrei um Santuário, algumas casas, muitas pessoas.
 
Hoje encontrei uma cidade, por lá passam multidões de pessoas de todo mundo: rostos, idades e línguas diferentes, entretanto todos se sentem próximos e falam  a linguagem maior que é o amor, vivem  da mesma fé, buscam o encontro com Deus através da penitência, da oração, da conversão dos pecados.
 
Mas, o que dizer de Medjugorje e do que lá acontece e acima de tudo do que lá se experimenta, se sente e se vive, é uma experiência que não se traduz com palavras. O que os videntes expressam com seu testemunho de vida ao falarem das aparições, das mensagens de Maria, do amor Deus, é uma realidade sentida no coração de cada pessoa. É o que ouvi de pessoas com quem falei, particularmente do que senti dentro de mim. Lá não se precisa falar de Deus, se sente e se vive Deus. Tudo fala, tudo toca, como se Deus tivesse construído sua tenda entre nós. É impossível não se sentir tocado pela experiência de Deus e pelo chamado a uma vida nova. Sem dúvida, o amor, a fé,  Deus, são realidades presentes e vivas no rosto, na vida e particularmente no coração das pessoas.
 
Vivi lá três dias. Busquei viver no silêncio... Caminhar pelos lugares diferentes das primeiras aparições... subi montanhas com caminhos de pedras, vi  crianças, jovens e idosos andando em silêncio, rezando, chorando, louvando, agradecendo, fazendo penitência, alguns com os pés descalços e no frio de um duro inverno. Nada os detinha, todos buscando entender e acolher o que lá, por meio de Maria, Deus nos quer falar e pedir. Todos se ajudam. Por várias vezes me senti no dever de estender as mãos para ajudar as pessoas a subirem a montanha maior e como descerem...
 
No meio das exigências desta caminhada, apesar do frio, do cansaço, dos sofrimentos, há no rosto de todos a paz, a alegria, o mistério de uma busca silenciosa de contacto com Deus. O sonho de Deus Pai para que todos os povos se acolham e se amem, se torna uma realidade e experiência viva neste lugar.
 
Mas, o mais surpreendente, é o que acontece na vida e no coração quando se busca partilhar dos momentos de oração que acontecem por toda parte, particularmente junto ao Santuário de Nossa Senhora de Medjugorge. Celebrações em línguas diferentes, o rosário completo que se reza todos os dias,  a adoração ao Santíssimo que perpassa a noite apesar do intenso frio, os confessionários sempre ocupados, a acolhida de todos marcada pelo carinho, vidas que se transformam, pessoas que renascem de suas ruínas interiores, que choram  de alegria após a experiência da misericórdia de Deus através da confissão.  Lá se vive o contato com Deus… Pergunto,  como duvidar que lá Jesus realmente nos está  amando e chamando para uma vida nova através de sua querida Mãe e nossa Mãe, Maria?
 
Tive a oportunidade de ter um encontro pessoal com um dos videntes, o mais novo, Jakov... Seu rosto, seus olhos, suas palavras traduzem o que os videntes vivem e sentem ao acolherem as mensagens de Maria que há anos vem acontecendo. Quando alguém que estava junto comigo perguntou...,  Jakov fale um pouco se possível do que significou o encontro com Maria... tudo nele se transformou... suas palavras foram curtas assim se expressando “É impossível traduzir o que se vê,  se vive e se sente nesta hora. Não tenho palavras”.
 
Pessoalmente perguntei  ao Frei Tomislav Pervan - um dos sacerdote de Medjugorje que atende aos romeiros -, para que em poucas palavras me traduzisse pelo porquê há tantos anos Maria vem transmitindo suas mensagens. Ele me disse: “O mundo está sem rumo, sem paz, sem a verdadeira vida. Nossas famílias estão enfermas, a humanidade está em ruínas...Todos  precisamos urgentemente do colo de uma Mãe... Deus que é Pai e que não descansa enquanto não possa novamente nos abraçar como filhos pródigos que todos somos, se serve de Maria, como sempre se serviu  Dela para nos dar novamente Jesus, nossa única salvação que todos buscamos. Por isto a penitência, a misericórdia, a reconciliação, a conversão, são os mais permanentes apelos de Maria em suas aparições”.
 
No andar pela cidade durante a pequena estadia de três dias em Medjugorge, tenho buscado me relacionar com os peregrinos perguntando porque tinham ido até Medjugorje. Todos falam do mesmo. A busca de uma vida nova, de um encontro maior com Deus. Sua maior experiência é o encontro com a paz interior através da confissão. Este na verdade é o grande milagre de Deus que acontece em Medjugorje, o reencontro com a paz, com o sentido da vida  e a alegria de viver.
 
Nestes poucos dias me encontrei com pessoas de diferentes  paises. Busquei dividir experiências ou pedindo uma simples informação para chegar em determinados lugares e me encontrei com pessoas que vivem na prática os pedidos das mensagens de Maria como um homem italiano de meia idade, dono de uma grande empresa de importação e exportação de mármores que após sua experiência de encontro com Deus em Medjugorge, abandonou sua vida de rico empresário dedicando o resto de sua vida a serviço dos mais pobres e abandonados deste mundo. Com ele vive um casal de médicos canadenses que doam sua vida gratuitamente aos  mais pequeninos e que sofrem.
 
Senti assim de perto que o amor aos mais pequeninos, que é o carisma da Ajuda à Igreja que Sofre, é a resposta mais concreta que nasce no coração dos que se sentem tocados por Deus em Medjugorge. Sem dúvida, o amor aos mais pequeninos e abandonados é um sinal vivo de que as aparições e mensagens de Nossa Senhora de Medjugorge vem de Deus e que o único pedido que Maria nos fez, “Fazei tudo o que Ele vos disser”, lá acontece na prática da vida de todos que é o encontro com Jesus. Sim, Jesus, é o Caminho, a Verdade e a Vida que todos buscamos.
 
No encontro com Maria em Medjugorge nos encontramos com seu Filho amado, Jesus, e no encontro com Jesus nos encontramos  com a verdadeira vida que é  o Amor de Deus Pai...

 

Padre Evaristo Debiasi, 72 anos, natural de Orleans, Santa Catarina; sacerdote há 41 anos (23/07/67). Pertence à Diocese de Tubarão, sul catarinense. Graduou-se em Filosofia e Teologia em Viamão, Rio Grande do Sul, Mestre em Teologia Dogmática pela Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma, Pós-graduação em Psicologia pela Pontificia Universidade Católica (PUC) em Viamão,RS, e Especialização em Discernimento Vocacional em Medellin, Colômbia. Foi Vigário Paroquial na Catedral de Tubarão, Vice-reitor, e depois Reitor, do Instituto Provincial Catarinense "Paulinum" em Curitiba, Paraná. Professor de Filosofia e Teologia no Seminário Rainha dos Apóstolos em Curitiba, PR, Professor da Faculdade de Serviço Social e da Escola de Educação Familiar em Curitiba. Professor de Psicologia e Relações Humanas na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e professor de Teologia Dogmática e Psicologia no Instituto Teológico de Santa Catarina (ITESC). Orientador e professor do Seminário Menor da Diocese de Tubarão, Reitor do Seminário Maior da Diocese de Tubarão em Florianópolis. De 1988 a 1991 foi Reitor e Orientador Espiritual do Seminário de Teologia da Diocese de Tubarão e desde 1992  é o Assistente Espiritual do Seminário de Teologia da Diocese de Tubarão. Co-fundador do Movimento Porta Aberta que atende gratuitamente crianças, adolescentes e adultos para tratamentos psicoterápicos com o objetivo de reintegrá-los às suas famílias e à sociedade. Desde 1997 é o Assistente Eclesiástico para o Brasil da Associação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) – uma obra da Igreja de Direito Pontifício – isto é – diretamente ligada à Santa Sé (Vaticano). Apresentador do Programa A Igreja pelo Mundo nos canais católicos da TV brasileira: Rede Vida, TV Canção Nova, TV Século XXI, TV Nazaré, TV Horizonte. Todos os programas também podem ser acessados no website da AIS-Brasil: