Agência Eclesia: Papa nomeia «enviado especial» para Medjugorje



No dia de Nossa Senhora de Lourdes deste ano de 2017 - 11 de fevereiro - o Papa Francisco nomeou o Arcebispo de Varsóvia como enviado especial para Medjugorje... assim se expressou a agência de notícias Eclesia:
 
Francisco quer conhecer «necessidades» dos peregrinos que acorrem ao local desde que surgiram relatos de aparições da Virgem Maria
 
Cidade do Vaticano, 12 fev 2017 (Ecclesia) – O Papa nomeou este sábado um “enviado especial” da Santa Sé para Medjugorje, Bósnia-Herzegovina, ponto de peregrinação para muitos católicos, enquanto se esperam as conclusões do inquérito sobre fenómenos de aparições marianas no local.
 
D. Henryk Hoser, arcebispo de Varsóvia, na Polónia, foi o prelado escolhido por Francisco para “adquirir conhecimento mais aprofundado sobre a situação pastoral desta realidade, em particular sobre as necessidades dos fiéis que ali chegam em peregrinações”.
 
Com base nestas informações, a Santa Sé poderá definir “possíveis iniciativas pastorais para o futuro”, assinala a nota oficial divulgada pela Secretaria de Estado do Vaticano.
 
A missão tem um caráter “exclusivamente pastoral” e vai durar vários meses, sendo o prazo previsto para a sua conclusão “o próximo verão”.
 
Em 2010, o Papa Bento XVI criou uma Comissão Internacional de Inquérito sobre Medjugorje na Congregação para a Doutrina da Fé.
 
Em causa estão relatos de aparições da Virgem Maria a seis crianças de uma aldeia da Bósnia-Herzegovina, em 1981.
 
Quatro anos depois, o cardeal Joseph Ratzinger, o Papa emérito Bento XVI, na altura prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, proibiu peregrinações oficiais de dioceses ou paróquias ao local, embora os católicos possam ali deslocar-se por sua iniciativa, inclusive na companhia de padres, se assim o desejarem.
 
Medjugorje continua a ser um local de peregrinação para centenas de milhares de católicos de todo o mundo.