Matey

Especialista em Sistemas de Informação Geográfica

 

Peregrinação a Medjugorje em Julho de 2007
 
 
Chegando em Medjugorje ao anoitecer encontramos a nossa amada Igreja de São Tiago toda iluminada ao seu redor enquanto ouvíamos uma suave canção religiosa que se espalhava pelo ar. Nada parecido com trajeto que tínhamos acabado de passar até chegarmos em Medjugorje. Era como se o Céu se abrisse ali. Encontramos uma calorosa anfitriã nos oferecendo hospedagem em sua casa – anfitriã que não disse uma palavra sobre dinheiro.
 
Pela manhã (era domingo) eu pude ver novamente a bela imagem de Nossa Senhora e tentei entrar na Igreja de São Tiago – uma tarefa difícil, pois muitas pessoas estavam participando da Santa Missa do lado de fora. Inicialmente eu não percebi que todas aquelas pessoas ali estavam participando da Missa dominical em sua língua local – Croata. Depois eu pude participar de uma outra rezada em alemão já dentro da Igreja.
 
Mais tarde naquele dia eu queria ir a todos os lugares inclusive nas aparições particulares de Marija e Ivan. Bem, isto não foi possível, Ivan não estava em Medjugorje e no dia seguinte Marija estaria dando um testemunho numa grande auditório. Ela é uma pessoa normal, ela ri e fala como qualquer um de nós. Ela diz aquilo que quer de um jeito como qualquer outra pessoa faria. Naquele dia ela disse algo que não tinha dito até então: “Eu vi o Céu, mas não como Jakov e Vicka, eles estiveram lá por 25 a 30 minutos, saindo fisicamente de suas casas.”
 
Marija disse que os que acompanham a Medjugorje podem cometer o grande engano de tornarem-se ‘medjugorianos’. Pelo contrário, nós somos cristãos... Marija também disse algo sobre o que nos devemos pensar. Ela disse: “Eu me lembro quando Tito morreu (nt.: General Tito ex-ditador da Iugoslávia). Naquela época para muitos Deus não existia, pelo menos na Iugoslávia... e hoje parece que para a imprensa mundial Deus também não existe...” Então, ela terminou a conferência muito rapidamente após aquela interessante comparação entre o ditador Tito e a mídia atual.
 
Eu vou relatar um episódio ocorrido com Marija um dia antes desta palestra. Naquelas semanas o fogo nas matas estava por todo lugar na Dalmácia ( zona costeira da Croácia e da Bósnia). No dia 28 de julho a temperatura estava acima dos quarenta graus. O fogo chegou a Medjugorje, inclusive no Podbrdo (a colina das aparições). Tendo chegado naquela noite nós pudemos ver as chamas vindo por trás do morro. E é claro que nós não tínhamos condições de ajudar a apagar o fogo depois de ter viajado 15hs de carro e também não conhecendo a real situação...assim como outras pessoas também não foram ajudar.
Marija, que mora próximo ao pé do morro, percebeu naquela mesma noite que se alguém não parasse aquele fogo no dia seguinte ele atingiria o local das aparições. Assim no domingo bem cedo ela reuniu muitas pessoas que começaram a apagar o fogo.. Eles estavam muito cansados e Marija foi ao local das aparições no Podbrdo pedir ajuda. Um peregrino que não sabia que ela era a vidente Marija ouviu uma voz interior dizendo: “Vá ajudá-la”. Após o fogo ter sido apagado completamente Marija revelou ao peregrino quem era ela e o convidou para estar presente na aparição da tarde (NT. Marija, Ivan e Vicka ainda têm aparições de Nossa Senhora diariamente). No mesmo domingo de manhã durante a conferência Marija não apresentava nenhum sinal de cansaço por ter lutado tanto contra o fogo no Podbrdo.
E nós podemos fazer uma comparação entre o fogo sobrenatural de 28/10/1981 no monte Podbrdo e este fogo real em 29/07/2007.
 
O resto do tempo que passamos em Medjugorje nós participamos de uma procissão com rosário na colina das aparições no domingo à tarde. Eu sentia que o Céu estava aberto acima da imagem de Nossa Senhora... algumas pessoas fazem pinturas a este respeito naquele local. Mas este é o meu sentimento, eu apenas penso que mais um pouco e eu estaria voando... Também visitamos um novo local com pinturas dos Mistérios Luminosos que nos conduzem diretamente à imagem do Cristo de Medjugorje (O Cristo Ressuscitado). Eu honestamente não dava importância à água que corre daquela imagem (NT veja vídeo) até que eu mesmo as pude ver. Eu permaneci em frente dela como um incrédulo são Tomé e questionava como seria possível sair um líquido de uma estátua de bronze aquecida pela temperatura local de 40 graus. Mas então eu simplesmente comprei alguns lenços e tocando na imagem pude coletar várias gotas de água.