Melinda Dumitrescu - a violinista de Medjugorje

"O violino é a voz do meu coração"
Publicado originalmente 7 de agosto de 2004
 
Melinda Dumitrescu, uma violinista da Roménia que tem acompanhado o programa de oração no santuário em Medjugorje já há anos, gravou em 2004 um CD com temas musicais de Medjugorje. Este CD , com o título " Dai-nos a vossa paz " , é editado pelo Centro de Informação " Mir " Medjugorje. Nesta época foi publicada esta entrevista.
 
Depois de ter concluído os seus estudos na Academia de Música de Lübeck ( Alemanha) como uma aluna do Professor Zachar Bronn , Melinda Dumitrescu decidiu vir a Medjugorje e permanecer aqui a serviço dos peregrinos. Sua vinda a Medjugorje é uma conseqüência de sua fé nas Aparições de Nossa Senhora e de seu encontro com o Padre Slavko Barbaric .
 
Lidija Paris: Melinda, você poderia por gentileza nos dizer como você veio a Medjugorje ?
 
Melinda Dumitrescu : Eu estava estudando música na Alemanha, na Academia de Música de Lübeck , onde Brahms e outros (grandes músicos) também estudaram. Eu ouvi sobre Medjugorje , eu li um livro com mensagens de Nossa Senhora . Desde a minha infância, eu fui bem sucedida na música. Eu era - como se diz - uma criança prodígio , mas o sucesso não era suficiente para preencher meu coração . Eu estava sempre em busca de algo mais. Eu estava viajando muito, e eu estava sempre me perguntando : onde é que eu realmente pertenço, onde está a minha família? Eu estava viajando Por causa dos meus estudos e por causa dos shows. Eu estava o tempo todo deixando para trás pessoas que eu amava. Ao ler as mensagens de Medjugorje , senti que - aqui - eu poderia encontrar o que o meu coração procurava . Quando eu vim pela primeira vez , eu vim sozinha, e eu conheci o padre Slavko , com quem eu previamente falava ao telefone.
 
Lidija Paris: Você conheceu o padre Slavko Barbaric ?
 
Melinda Dumitrescu : Sim , eu o conhecia, e sua morte foi uma grande perda. Ele foi a primeira pessoa que eu conheci aqui em Medjugorje. No livro com mensagens de Nossa Senhora , eu vi a foto dele , falamos no telefone , em 1996. No norte da Alemanha, onde eu morava naquela época , os católicos não são muito numerosos e não havia peregrinos de Medjugorje . Em agências de viagem, ninguém sabia sobre Medjugorje. Pe.Slavko me disse que ele estava perto de Mostar. Tomei um avião que deveria vir para Split nas horas da noite . Eu disse ao Senhor : "Você sabe onde eu estou indo , me ajude a chegar a esse lugar!" O desejo de vir aqui era mais forte do que eu. No aeroporto de Frankfurt , vi um grupo de americanos com emblemas onde estava escrito : " peregrinações marianas " . Eu disse a eles que eu estava sozinha , perguntei-lhes se eles estavam indo para Medjugorje, e levaram -me em seu ônibus de Split para Medjugorje. Tudo foi resolvido. Minha história em Medjugorje começou com Pe. Slavko. Assim que cheguei, ele me pediu para tocar na igreja, e logo depois disso, para ficar em Medjugorje. E assim, depois de receber o meu diploma, eu permaneci aqui. Como meu pai é falecido , Pe. Slavko era como um pai para mim. Um pai espiritual. Quando ele ia a algum lugar ele costumava me levar com ele para tocar violino. Ele costumava me pedir para traduzir para os peregrinos romenos e levá-los para as colinas. Sua morte foi uma grande perda, mas eu vi que Deus provê tudo. Pe. Branko e Pe. Svetozar e outros franciscanos estão aqui agora, que continuam o trabalho do Pe. Slavko e eles me acolheram.
 
Lidija Paris : Como você se familiarizar com a vida em Medjugorje ?
 
Melinda Dumitrescu : Eu estou vivendo com outros jovens- alguns deles também são músicos - em uma comunidade , que é um fruto de Medjugorje. Eu os conheci em 1996, quando eu estava tocando numa adoração conduzida pelo padre Slavko , que era o meu pai espiritual, um grande defensor dos artistas, mas também conselheiro espiritual de Madre Rosaria e de sua comunidade desde o início. Eu fui atraído pela idéia de uma vida em comum de oração, de tocar e cantar para o Senhor com outros jovens, como o fazemos agora apenas na comunidade. Em Medjugorje, na comunidade, tenho a possibilidade e a graça de crescer em todos os sentidos. Eu experimentei o apoio que Madre Rosaria dado a mim como pessoa, como filha de Deus e de Maria , por isso , mas também de uma maneira especial, como um músico, uma violinista de Jesus e de Maria.
 
Lidija Paris: Todos os músicos aqui em Medjugorje são excelentes, mas o seu violino está trazendo algo especial. O que é isso ?
 
Melinda Dumitrescu : Assim que eu nasci, minha mãe me ofereceu e me consagrou com todo o seu coração a Nossa Senhora . Meus pais eram músicos, e desde o ventre de minha mãe, eu estava crescendo com a música. Eu acho que Nossa Senhora tinha um plano para mim. Ela me escolheu e ela está me usando . Eu completei os meus estudos na Academia de Música , mas para mim , a música é uma oração. Eu ofereço o meu tocar para Deus. Minha música é a oração do meu coração. Eu gostaria de dizer-lhe uma anedota de minha vida. Desde a minha infância , eu tocava em igrejas. Quando eu tinha 16 anos , eu estava tocando no Japão . Meu pai me ensinou a tocar o "Ave Maria" de Bach e Gounod . Depois do nosso show , o que não ocorreu em uma igreja , o público pediu mais , então eu decidi tocar a "Ave Maria" . Era o tempo do Advento , a festa de São Nicolau, e eu disse para o público que eu tinha vindo de um país cristão , e que - no Advento - os cristãos estão esperando a vinda do Messias . Eu disse a eles o que eu iria tocar uma peça que está anunciando a sua vinda . No final , todos estavam chorando, homens e mulheres, e todos eles eram budistas, e não cristãos. Este é um sinal da graça de Deus fez passar através da música, além de palavras e imagens.
 
Lidija Paris: O que o seu violino significa para você?
Melinda Dumitrescu : É um companheiro da minha vida, um companheiro fiel, mas só depois de o Senhor . É a voz do meu coração.
 
Lidija Paris : Você não sente saudade dos concertos ?
 
Melinda Dumitrescu : De vez em quando eu dou concertos, mas como eu disse, a carreira no mundo não pode preencher a minha vida. Eu toco desde a minha infância. Eu poderia ter continuado , mas eu sou mais feliz desta maneira. Aqui, eu me sinto em casa, e Nossa Senhora no entanto está me levando por todo o mundo!
 
Lidija Paris : Você não sente saudade da competição, da comparação com outros violinistas?
 
Melinda Dumitrescu : Pe. Slavko disse que a concorrência é boa, porque cada um tem que melhorar. Aqui em Medjugorje, e em outros lugares do mundo, eu me encontro com bons músicos que me apreciam e até mesmo dizem que eu estou entre os melhores. Estou Caracterizado por meu treino e por uma vida cheia de sacrifícios inteiramente por causa da música desde a idade de seis anos. Eu costumava tocar até oito horas por dia. Eu estava renunciando a tantas coisas ... e eu era uma vencedora. Com 14 anos, eu tirei o o primeiro lugar numa competição internacional no da Itália . Meu professor era Zachar Bron, um aluno de David Ojstrah, um dos melhores ... Todo mundo me diz que eu estou em um nível profissional muito elevado , e esta é uma graça , porque eu não estou tocando mais oito horas por dia. Estou vivendo aqui agora , ao serviço dos peregrinos , eu tenho uma vida de oração intensa, uma vida de serviço e de sacrifício.
 
Lidija Paris: O que sua família diz?
 
Melinda Dumitrescu : Minha família me apoia desde a minha infância , e eles estão surpresos. Eles ver, contudo, é que eu estou feliz . De vez em quando , eles estão me perguntando se eu tenho certeza do que estou fazendo. Quando eles escutam que eu tocando música clássica no Panamá, no Líbano , na Coréia ... eles ficam felizes. Não devemos esquecer todos os sacrifícios que os meus pais fizeram . Naquela época , na Roménia , com o sistema político que tinhamos , só se poderia sonhar em deixar o país. Meus pais também são músicos. Eles não tinham quaisquer recursos materiais especiais. Na Roménia, os artistas poderiam morrer de fome. Com a ajuda de Deus, com sua Providência , consegui uma bolsa de estudos e eu pude estudar na Alemanha . Tudo é graça. Quando eu me encontro com meus colegas , músicos , vejo que eles respeitam o que estou fazendo. Eles até admiram um pouco . Quando eu fiz o primeiro CD em benefício da Cidade de Maria ", Misericórdias Domini em eternum cantabo , " muitas pessoas ficaram felizes com isso . Foi para a glória de Deus. A aprovação está chegando não só dos cristãos , de modo que os muçulmanos, mas a partir de hindus , desde aqueles que estão longe da Igreja. A música está tocando em seus coraçõed.  Agora, estamos lançando este novo CD com música espiritual no estilo de Medjugorje, e em breve, estaremos fazendo outra com vários outros músicos.
 
Lidija Paris: Você não tem medo do futuro?
 
Melinda Dumitrescu : Estou nas mãos de Deus e confio em Nossa Senhora . Em sua última Mensagem, ela nos disse para nos consagrarmos ao seu Imaculado Coração e ao Coração de seu Filho Jesus. Ela é a minha administradora, eu não tenho outra. Não é fácil abandonar-se todos os dias nas mãos de Deus. Não é fácil viver com fé. Cada dia é pura fé . Todos os dias, os milagres acontecem para a glória de Deus. Ofereço tudo a Deus para minha conversão e pela conversão do mundo.
 
Lidija Paris : Sua vida não é algo que se esperaria de um aluno de Zachar Bron ?
 
Melinda Dumitrescu : Vivendo assim , abandonando -se a Deus , é loucura aos olhos do mundo. Eu não vivo dessa maneira porque eu não teria nenhuma outra opção na minha vida. Este modo de vida significa nadar contra a corrente . Por que , por quem?, por qual razão? Eu levo Jesus e Maria no meu coração, e "o mundo" não os conhece . Estou vivendo este tipo de vida só por causa deles. Dois ou três anos atrás, tive a oportunidade de ganhar € 500 por minuto para tocar como solista numa orquestra em Salzburgo! Precisamente nestes dias, o proprietário deste violino precioso que foi confiado a mim, tinha encontrado um comprador, e eu tive que enviar o violino para a Alemanha. Eu disse : " Tudo bem, Senhor , eu vou renunciar a esse violino ! Você sabe tudo " Eu estava realmente atraída pela idéia de tocar este concerto , embora naquela época eu não tinha idéia de quanto queriam me pagar ... Dois dias depois, quando o violino , que já estava em seu caminho para a Alemanha, alguns benfeitores vieram e me deram o montante necessário para adquirir o violino! Minha vida tem sido sempre assim. Esta história sobre o violino é apenas um entre muitos. Eu tive que renunciar a ele, eu tinha que dizer " Seja feita tua vontade" a fim de experimentar uma alegria muito maior quando este violino retornou para mim, o qual é realmente necessário para mim. Foi uma lição de vida que, eu acho, pode ser útil para todos. Se somos capazes de renunciar a alguma coisa, o Senhor é tudo que precisamos nos dar, mas Ele quer estar no centro. Eu disse que o violino é o companheiro da minha vida, mas só depois de Jesus e Maria. Em si mesmo, o violino é apenas um pedaço de madeira. Eles dizem que eu sou capaz de dar uma alma a ele. Tornou-se uma parte de mim. Agradeço a Nossa Senhora por isso.
 
Lidija Paris : Como um cidadão romeno, você tem problemas com coisas básicas , como o título de residência , vistos ...
 
Melinda Dumitrescu : Quando eu renunciei a uma carreira, eu renunciei a muitas comodidades , incluindo o passaporte de outro país que eu tinha a possibilidade de obter. Quando sou convidada em algum lugar, eu sempre tenho que passar por vários procedimentos, a fim de obter um visto. Mesmo aqui , a fim de continuar a atuar nesta paróquia, eu preciso de uma autorização de residência. Deus proverá . Eu ficaria feliz se fosse possível que aqueles que desejam colocar Sua vida ao serviço desta paróquia como voluntários, que recebam todos os documentos necessários . Eu sei que eu não sou o único com este tipo de problemas. Aqui em Medjugorje, muitos voluntários querem fazer algo de bom , e todos eles encontram o mesmo problema. Você nunca sabe quando a lei vai mudar, e este não é o caso apenas na Bósnia e Herzegovina. (Em 2009 a lei mudou facilitando o acesso e permanÊncia das pessoas à Bosnia Herzegovina onde está Medjugorje)
 
Lidija Paris: O que significa viver permanentemente em Medjugorje ?
 
Melinda Dumitrescu : Viver permanentemente em Medjugorje não é o mesmo que vir em peregrinação, quando alguns estão no sétimo céu ... É uma jornada diária laboriosa pelo deserto, e nós temos que buscar a fonte da vida e do sentido da nossa existência. Cada dia é cheio de alegrias e de lágrimas, de felicidades e de sofrimentos. Eu sei que a recompensa de Deus é grande . O ritmo de oração aqui em Medjugorje está convertendo os corações . Até mesmo os corações mais endurecidos abrem-se aqui. Eu posso ver, especialmente nas Adorações , que alguns sentem-se como no céu. A graça que está trabalhando através da oração, e através da música oferecidas em oração , assim como o programa de oração em Medjugorje, são frutos das Aparições de Nossa Senhora. Sua presença é um contato direto do Céu que transforma tudo . Entretanto, sempre que  Nossa Senhora está presente, o inimigo tenta se intrometer, e é por isso que temos de lutar todos os dias. Os peregrinos têm graças especiais , e isso é bom, porque eles tem que voltar à sua Jerusalém, mas nós temos a nossa Jerusalém aqui , e nós oferecemos tudo para o nosso próprio bem e para o bem dos peregrinos . Você pode ver em seus olhos, como eles rezam o rosário , que eles estão mudando. E Eles dão testemunho de paz e alegria, pela consolação que eles receberam. Aleluia !