Carta de Tatiana Faraco de Oliveira - Florianópolis - SC

 

"Fui a Medjugorje no começo de novembro de 2005. Estava morando em Munique, na Alemanha, com meu marido. Ele foi comigo porque estava preocupado com a viagem (o meio mais barato foi comprar passagem de ônibus). O percurso foi pela Áustria, depois Eslovênia, depois Croácia, e finalmente a Bósnia.
Os sinais da guerra ainda estão bem visíveis neste pais: casas destruídas por bombas, marcas de granada nos prédios, a pobreza do povo, morando em prédios caindo aos pedaços.
As bombas ali jogadas não detonaram
 
Na rota por Mostar, um dos passageiros nos disse que a estrada costumava se chamar "via da morte" porque de um lado da montanha estavam os rebeldes, de outro os paramilitares, e quem se atrevia a passar no meio era pego no fogo cruzado.
Mas, ao chegar em Medjugorje, parece que estamos em outro pais: nada destruído, tudo bem cuidado, não há sofrimento pairando no ar. As bombas ali jogadas não detonaram. Um dos muitos milagres!
Uma das coisas que me chamou atenção foi a sensação de leveza no ar, contrastando com o desespero visto nas outras cidades da Bósnia. Não sei como te explicar isso, mas não tem como negar que ali tem uma presença mística. Missas são rezadas basicamente 24 horas por dia.
Mas, ao chegar em Medjugorje, parece que estamos em outro pais: nada destruído, tudo bem cuidado, não há sofrimento pairando no ar.
 
Não fui a Medjugorje para ver milagres. Fui porque ja era devota de Nossa Senhora há tempos, e sempre quis ir lá. Fui para deixar meus pedidos nas mãos seguras da Mãe de Deus. E assim foi feito. Condições financeiras sempre me impediram de ir lá. Mas Nossa Senhora sempre dá um jeito.
Para quem quiser ir, aconselho prometer a Maria Santíssima que vai propagar a mensagem de Medjugorje. Ela vai achar um meio de enviá-los.
Vale ressaltar que ninguém precisa ir lá para acreditar. Eu já acreditava antes de ir. Mas, recomendo a quem está interessado, porque vale a pena. Voltei com mais esperança de lá.
 
 
Em Cristo...Tatiana Faraco de Oliveira"